Artigo

Fábio Dantas, um candidato `nem, nem´

O vice-governador do Rio Grande do Norte, Fábio Dantas, que deixou o PCdoB para se filiar ao PSB e se lançar pré-candidato a governador do estado, é, eu diria, um candidato “nem, nem”. Fábio Dantas nem é situação, nem é oposição, nem é de direita e muito menos de esquerda.

Já disse em outras oportunidades e vou repetir: Fábio Dantas não terá discurso caso se aventure a sair mesmo candidato a governador. Deixou o governo já nos acréscimos dos minutos finais do segundo tempo, ou seja, passou três anos e três meses se utilizando da máquina governamental e agora quer ser candidato a governador subindo o tom nas críticas ao governo.

Não vejo como. Aliás, Dantas nos bastidores do poder é tido como o “Ravengar”, o bruxo que maquina os projetos que desagrada, sobretudo, aos servidores. Será que o discurso de Fábio Dantas será o mesmo discurso do também pré-candidato Flávio Rocha, ou seja, do Estado mínimo, onde a máquina seria também reduzida? Bom salientar que o Estado mínimo tem sua concepção fundamentada nos pressupostos da reação conservadora que deu origem ao neoliberalismo.

Quer dizer, se for assim, Fábio Dantas, que conta com a simpatia do deputado tucano Rogério Marinho (PSDB-RN), dará uma guinada de 360º onde foi do PCdoB ao PSB com uma proposta que tem tudo a ver, menos de socialista.

A conferir!

Foto: Canindé Soares

 

One Response to Fábio Dantas, um candidato `nem, nem´

  1. Alob disse:

    Já poderia ate usar a música de Chiclete com Banana como Jingle de campanha: Cara Caramba Sou Camaleão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *