Política

Juiz pede prisão preventiva de Cristina Kirchner sob acusação de acobertar suspeitos de terrorismo

Está no G1

Um juiz federal pediu a prisão preventiva da ex-presidente argentina Cristina Kirchner sob acusação de acobertar criminosos iranianos envolvidos no atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia). O ataque que aconteceu em 1994 deixou 85 mortos.

O magistrado Claudio Bonadio também pediu que a senadora perca o foro privilegiado, segundo informou nesta quinta-feira (7) jornal “Clarín”.

Cristina Kirchner nega as acusações e diz que o governo de Mauricio Macri usa o Poder Judiciário para perseguir opositores.

O caso agora será analisado pelo Senado, mas segundo a imprensa argentina, é improvável que a tramitação avance com rapidez. De acordo com o “Clarín”, o regimento interno do Senado argentino, bem como o fato de a casa estar em recesso, pode fazer com que o pedido de perda do foro seja votado em uma questão de meses.

promotor Alberto Nisman denunciou em 2015, dias antes de aparecer morto, que a ex-presidente montou um esquema criminal para acobertar os supostos responsáveis pelo atentado a fim de melhorar a relação comercial com o Irã.

Nisman afirmava que um memorando assinado entre a Argentina e o Irã, em 2013, buscava na realidade acobertar, entre outros, o ex-presidente iraniano Ali Akbar Rafsanjani.

Foto: Gabriel Cano/Senado da Argentina/AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *