Artigo, Política

Lava Jato faz senador Agripino Maia rever seus planos

O noticiário político no Rio Grande do Norte dá conta de que o senador José Agripino Maia (DEM), está disposto a abrir mão da reeleição para reforçar a candidatura ao governo do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), caso isso significasse um reforço para o pedetista.

Segundo o portal de notícia Agora RN,  “o que está em cogitação são apoios de novos partidos à candidatura de Carlos Eduardo. Isso abre negociações em torno da chapa. Essa negociação é que está sendo cogitada”, afirmou o senador potiguar.

É importante lembrar, diz o portal, que a declaração vai de acordo ao que se cogita, que é a ida do deputado federal Antônio Jácome, do PODEMOS, para a chapa encabeçada por Carlos Eduardo Alves, sendo alçado à condição de pré-candidato ao Senado.

O blogdobarbosa faz outra leitura: o senador do DEM deve abdicar da reeleição não porque queira reforçar a candidatura do ex-prefeito de Natal a governador do estado, mas sim porque sofre um desgaste político capaz de atrapalhar uma eventual candidatura sua a reeleição.  Senão vejamos:

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal aceitou denúncia contra o senador potiguar. O parlamentar se tornou réu em processo por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e uso de documento. Segundo a Procuradoria-Geral da República, Agripino foi citado em depoimento de delação premiada de um empresário do Rio Grande do Norte, que o acusou de receber aproximadamente R$ 1 milhão em contrato de inspeção veicular entre uma empresa privada e o governo do estado, em 2010, durante a gestão da ex-governadora Rosalba Ciarlini, cuja denúncia foi arquivada.

Por sua vez, o Ministério Público Federal entrou na Justiça Federal do Rio Grande do Norte com uma ação de improbidade administrativa contra o senador José Agripino (DEM) e o empresário e ex-presidente da OAS, José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro. Segundo a denúncia, o senador recebeu quase R$ 1 milhão em propina em troca de auxílio à empreiteira, responsável pela construção do estádio Arena das Dunas, para a Copa de 2014, em Natal. A obra teria sido realizada com preço superfaturado em R$ 77 milhões.

Ou seja, Agripino Maia se tornou réu, e portanto, suas eventuais pretensões de retornar ao Senado estão bastante difíceis. Neste caso, sobraria a Agripino Maia ser candidato a deputado federal, o que prejudicaria o filho, deputado federal Felipe Maia (DEM), que não sairia candidato a reeleição, ou ser o vice de Carlos Eduardo Alves, o que também tornaria a chapa pesada, já que são dois nomes pertencentes a oligarquias políticas no Rio Grande do Norte, Alves e Maia, munição suficiente para abastecer seus adversários na campanha. Ou seja, chega de Alves e Maia!

A conferir!

Foto reproduzida da Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *