Política

50% dos eleitores afirmam que há ‘alguma chance’ de haver nova ditadura no Brasil, diz Datafolha

Está no G1

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) traçou a opinião dos brasileiros sobre chances de haver uma nova ditadura no Brasil, opiniões sobre as realizações do regime e ainda sobre o direito de ação do governo em relação a oito temas.

Na primeira pergunta sobre o tema, o Datafolha perguntou: “Atualmente, você acha que há alguma chance de haver uma nova ditadura no Brasil?”.

As respostas foram:

  • Sim, há muita chance – 31%
  • Sim, um pouco de chance – 19%
  • Nenhuma chance – 42%
  • Não sabe – 8%

De acordo com o instituto, o índice de eleitores que declararam haver alguma chance cresceu 11 pontos em comparação com a pesquisa de fevereiro de 2014. Os que respondiam que “há muita chance” passou de 15% para 31%, e os que diziam haver “um pouco de chance” passou de 24% para 19%.

Já, o índice de eleitores que declararam não haver nenhuma chance de uma nova ditadura no país recuou de 51% para 42% e 8% não opinaram (era 10%).

Segmentos

No detalhamento por segmentos, a pesquisa mostra que os maiores percentuais de quem afirmou que não há “nenhuma chance” está entre os homens e as pessoas com renda acima de 5 salários mínimos. A percepção de que há “alguma chance” de uma nova ditadura no país é mais alta entre as mulheres.

Masculino

  • Sim, há muita chance – 27%
  • Sim, um pouco de chance – 18%
  • Nenhuma chance – 50%
  • Não sabe – 5%

Feminino

  • Sim, há muita chance – 34%
  • Sim, um pouco de chance – 21%
  • Nenhuma chance – 34%
  • Não sabe – 11%

Renda – mais de 5 a 10 salários mínimos

  • Sim, há muita chance – 23%
  • Sim, um pouco de chance – 15%
  • Nenhuma chance – 60%
  • Não sabe – 2%

O instituto aponta ainda que a percepção de que há “alguma chance” de uma nova ditadura é mais alta entre os eleitores de Fernando Haddad (PT), com 75%. Entre os eleitores de Jair Bolsonaro (PSL), a percepção de não haver possibilidade de uma nova ditadura no país é mais alta: 65%.

Entre os eleitores de Jair Bolsonaro

  • Sim, há muita chance – 13%
  • Sim, um pouco de chance – 16%
  • Nenhuma chance – 65%

Entre os eleitores de Fernando Haddad

  • Sim, há muita chance – 53%
  • Sim, um pouco de chance – 22%
  • Nenhuma chance – 16%

Realizações da ditadura

O instituto também perguntou: “Pelo que você sabe ou ouviu dizer, a ditadura militar que governou o país de 1964 a 1985 deixou mais realizações positivas do que realizações negativas para o Brasil ou deixou mais realizações negativas do que realizações positivas para o Brasil?”.

As respostas foram:

  • Deixou mais realizações positivas do que realizações negativas – 32%
  • Deixou mais realizações negativas do que realizações positivas – 51%
  • Não sabe – 17%

No detalhamento por segmentos, a pesquisa aponta que que na região Sul está o maior percentual de eleitores que acredita que a ditadura deixou mais realizações positivas do que negativas. No Nordeste, o maior percentual dos que apontam mais realizações negativas.

Sul

  • Deixou mais realizações positivas do que realizações negativas – 41%
  • Deixou mais realizações negativas do que realizações positivas – 37%
  • Não sabe – 22%

Nordeste

  • Deixou mais realizações positivas do que realizações negativas – 24%
  • Deixou mais realizações negativas do que realizações positivas – 58%
  • Não sabe – 18%

Direito de ação do governo sobre 8 temas

A pesquisa também questionou: “Vou ler algumas frases e gostaria que você dissesse de cada uma se você concorda ou discorda que o governo brasileiro deva ter o direito de:”

Proibir greves

  • CONCORDA – 24%
  • Concorda totalmente – 14%
  • Concorda em parte – 10%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 2%
  • DISCORDA – 72%
  • Discorda em parte – 15%
  • Discorda totalmente – 57%
  • NÃO SABE – 2%

Intervir nos sindicatos?

  • CONCORDA – 41%
  • Concorda totalmente – 24%
  • Concorda em parte – 17%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 2%
  • DISCORDA – 51%
  • Discorda em parte – 14%
  • Discorda totalmente – 37%
  • NÃO SABE – 6%

Proibir a existência de algum partido?

  • CONCORDA – 33%
  • Concorda totalmente – 21%
  • Concorda em parte – 11%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 2%
  • DISCORDA – 61%
  • Discorda em parte – 14%
  • Discorda totalmente – 47%
  • NÃO SABE – 4%

Censurar jornais, TV e Rádio?

  • CONCORDA – 23%
  • Concorda totalmente – 13%
  • Concorda em parte – 10%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 1%
  • DISCORDA – 72%
  • Discorda em parte – 11%
  • Discorda totalmente – 61%
  • NÃO SABE – 4%

Fechar o Congresso Nacional?

  • CONCORDA – 21%
  • Concorda totalmente – 14%
  • Concorda em parte – 8%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 2%
  • DISCORDA – 71%
  • Discorda em parte – 17%
  • Discorda totalmente – 54%
  • NÃO SABE – 6%

Prender suspeitos sem a autorização da Justiça?

  • CONCORDA – 32%
  • Concorda totalmente – 21%
  • Concorda em parte – 11%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 1%
  • DISCORDA – 65%
  • Discorda em parte – 15%
  • Discorda totalmente – 50%
  • NÃO SABE – 3%

Torturar suspeitos para tentar obter confissões ou informações?

  • CONCORDA – 16%
  • Concorda totalmente – 10%
  • Concorda em parte – 7%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 1%
  • DISCORDA – 80%
  • Discorda em parte – 11%
  • Discorda totalmente – 68%
  • NÃO SABE – 3%

Controlar o conteúdo das redes sociais?

  • CONCORDA – 43%
  • Concorda totalmente – 24%
  • Concorda em parte – 18%
  • NEM CONCORDA NEM DISCORDA – 1%
  • DISCORDA – 52%
  • Discorda em parte – 11%
  • Discorda totalmente – 42%
  • NÃO SABE – 4%

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 9.137 eleitores em 341 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 17 e 18 de outubro
  • Registro no TSE: BR-07528/2018
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “Folha de S.Paulo”
  • nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

 

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *