Política

Bolsonaro pode deixar Brasil ingovernável, diz jornalista

Está no site Brasil 247

O jornalista Ricardo Kotscho alertou nesta quinta-feira (8) para o risco à governabilidade do Brasil em meio à sucessão de erros, trapalhadas e improvisos do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Para Kotscho, ou o capitão reformado não esperava ganhar as eleições ou é “um político irresponsável”.

“Se continuar nesta sucessão de trapalhadas, recuos, ditos e desditos, criando, fundindo e fechando ministérios, arrumando inimigos mundo afora, vai paralisar o governo federal logo após a sua posse”, diz o jornalista.

Kotscho lembra que nos primeiros dez dias após a eleição, Bolsonaro deu demonstrações de “total despreparo” e de falta de um programa de governo para tirar o país da mais grave crise política e econômica.

“Atirando balas perdidas para todo lado, Bolsonaro já deixou claro, para quem ainda tinha alguma dúvida, que não tem a menor ideia de como vai governar este país de 208 milhões de habitantes e 12,5 milhões de desempregados. Esta é a nua e crua verdade dos fatos. O resto é marketing de especulação e indústria de fake news, como se o eleito ainda estivesse em campanha, cercado por filhos, áulicos e meia dúzia de militares de pijama”, acrescenta.

Segundo Koscho, “ofuscado pelos superministros Paulo Guedes e Sergio Moro, que não param de dar entrevistas, Bolsonaro tenta criar fatos novos para ocupar a mídia e as redes sociais, mas a cada intervenção só aumentam a barafunda à sua volta e as incertezas sobre o novo governo”.

Nessa quarta-feira (7), Bolsonaro confirmou que extinguirá o Ministério do Trabalho, que completará 88 anos no próximo dia 26 e que é responsável pela formulação de políticas públicas para a geração de emprego e de poio ao trabalhador, pela fiscalização do trabalho escravo e infantil, entre outras atribuições (leia mais).

“Além dos problemas internos que já criou para a futura governabilidade, nestes poucos dias, Bolsonaro produziu atritos com China, Venezuela, Cuba, países árabes, Brics e Mercosul”, lembra Ricardo Kotscho.

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho.

Foto reproduzida da Internet

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *