Geral

Diretor do HRTM destaca melhorias na assistência após TCEP

O Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia (HRTM) já reflete os benefícios trazidos pela assinatura do Termo de Cooperação Técnica e Financeira entre Entes Públicos (TCEP) firmado entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e a Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró (SMS) no início de novembro.

Corredores vazios, três vagas de UTI disponíveis e inexistência de pacientes em filas para ocupar leitos, são algumas das muitas melhorias que o HRTM tem apresentado com apenas 15 dias em que o TCEP está em vigor. Na manhã desta quinta-feira (16) o diretor geral do HRTM Jarbas Mariano ao sair do plantão e se deparar com essa cena que tem se repetido quase que diariamente, destacou animado que “o Termo além de ter dado um melhor tempo resposta a necessidade do paciente, trouxe mais economia de recursos e menos serviços envolvidos. Dando a sensação de que estamos no caminho certo”.

O Termo foi firmado pelos dois entes com o intuito de melhorar a assistência aos pacientes das regiões do Vale do Açu, Oeste e Alto Oeste potiguar. Ele possibilita um incremento nos valores da tabela SUS, documento referência para o pagamento de procedimentos hospitalares e ambulatoriais em serviços do Sistema Único de Saúde e que está a mais de 10 anos sem atualização, sem incorporação de novos procedimentos e de novas tecnologias. Por meio do TCEP a Sesap transfere os recursos complementares para a Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró que então contrata unidades privadas para realização de cirurgias eletivas nas áreas de ortopedia, cirurgia geral, oncologia de alta e média complexidade, ginecologia e cardiologia de alta e média complexidade. O Estado arca com 60% do valor da complementação, cerca de R$ 12 milhões, e o município de Mossoró com o correspondente a 40%. Além disso, possibilita uma maior realização de cirurgias neurológicas sob gestão estadual, por meio de contratação do Hospital Wilson Rosado, e da complementação do valor das diárias de UTI contratadas em unidades filantrópicas e privadas da região.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *