Entrevista

Humor: Gyro Gearloose vai à Barril para julgamento do ex-presidente Molusco, acusado de ter um triplex de taipa

O jornalista Gyro Gearloose volta à cena política em Barril, país que fica nos cafundós dos Judas da América do Sul. Desta feita para cobrir a sessão do Tribunal Regional Federal daquele país que vai decidir pela condenação ou não do ex-presidente Molusco, acusado pelo juiz federal Décio Moco, de receber propina de uma famosa construtora de Barril na época em que foi presidente. Os magistrados vão analisar o caso do apartamento triplex de taipa na praia de Maracujá e a granja no interior de Barril que nem galinha tinha, apenas três pedalinhos em forma de pato, que Molusco teria recebido como parte da propina. Há poucos dias do julgamento Gyro Gearloose ouviu algumas pessoas sobre o que acham. Veja a seguir:

1- Gyro Gearloose – Fui ouvir um dos juizes que irá julgar o ex-presidente Molusco. Ele preferiu não ser identificado. Perguntei a ele qual seria o seu posicionamento no julgamento.

Juiz – Data venia Sr repórter, não posso antecipar o meu voto

2- Gyro Gearloose – Insisti pra ver se ele me adiantava alguma coisa

Juiz – O que posso lhe adiantar é que se houver acórdão o réu, no caso o ex-presidente Molusco, poderá ter o seu processo arquivado

3- Gyro Gearloose – Como ele deu o gancho pra mais uma pergunta, questionei então se haveria esta possibilidade

Juiz – Não posso responder a esta pergunta porque não posso responder pelos outros dois juizes

4- Gyro Gearloose – Aí lhe perguntei novamente qual seria o voto dele

Juiz – Data venia de novo Sr repórter, não posso antecipar o meu voto

5- Gyro Gearloose – Decidi ouvir, então, alguns populares sobre o que acham do julgamento. Perguntei ao primeiro que leva o nome de José Marim se ele acha que Molusco vai ser preso.

José Marim – E o que mesmo o ex-presidente Molusco cometeu, hein?

6- Gyro Gearloose – Percebi que aquele cidadão estava alheio a todo o processo. Resolvi entrevistar uma outra pessoa de nome Carlos Castanhol. Fiz a mesma pergunta

Carlos Castanhol – Essa é uma acusação absurda, chega a ser surreal. Dizer que o ex-presidente Molusco tinha um apartamento triplex de taipa e uma granja que nem galinha tinha sem nenhuma prova cabal. Não tem o menor fundamento

7- Gyro Gearloose – Pela resposta percebi logo que aquele cidadão era Molusco roxo. Procurei uma outra pessoa que tivesse um posicionamento contrário, até para dar credibilidade a minha entrevista. Foi aí que um sujeito se apresentou e disse que o seu nome era Michel, mas que era conhecido mais como Michelzinho. A mesma indagação fiz a ele. Você acha que o ex-presidente Molusco vai ser preso?

Michelzinho – Claro, o juiz Décio Moco apresentou provas contundentes de que Molusco recebeu o triplex de taipa e a granja na praia de Maracujá como propina. Não tenho dúvida de que ele vai para o xilindró, como vocês dizem lá no Brasil, né?

8- Gyro Gearloose – Aí indaguei dele que provas contundentes seriam estas

Michelzinho – Provas de convicções, não materiais que não valem nada. Mas Décio Moco disse várias vezes que estava convicto de que o ex-presidente Molusco recebeu propina. Não tinha provas materiais, mas suas convicções bastavam, o que ele acredita que os juizes que julgarão agora Molusco vão estar convictos em suas convicções.

Charge: Aroeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *