Política

PF instaura inquérito e perícia analisa danos após invasão a triplex atribuído a Lula em Guarujá

Está no G1

A Polícia Federal instaurou, na tarde desta segunda-feira (16), um inquérito para apurar a invasão ocorrida no triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Peritos foram ao apartamento para avaliar eventuais danos e o defensor dos manifestantes já se apresentou na delegacia.

Aproximadamente 50 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo invadiram o Edifício Solaris, localizado na orla da Praia das Astúrias, no início da manhã. Eles permaneceram no imóvel por quatro horas e o desocuparam após negociações com equipes da Polícia Militar, que acompanharam o ato.

Como o apartamento foi bloqueado pela Justiça e está sob responsabilidade da União, para ser leiloado em maio, cabe à Polícia Federal investigar o ocorrido, que não deixou feridos, apesar do tumulto. Nesta tarde, os policiais militares apresentaram a ocorrência na Delegacia da PF em Santos (SP), responsável por toda a região.

Ao G1, a Polícia Federal afirmou que enviou peritos ao edifício para avaliar eventuais danos ocasionados durante a invasão. Preliminarmente, a equipe constatou que a porta principal foi arrombada. A delegada responsável pelo caso instaurou um inquérito de “esbulho possessório”, quando há uma invasão violenta a um bem alheio.

Ainda nesta tarde, além dos policiais militares, um advogado que representa os movimentos sociais participantes da invasão também se apresentou na Delegacia da PF em Santos, para prestar esclarecimentos sobre o fato. O imóvel foi lacrado enquanto ocorre a análise pericial das intervenções no local.

Invasão

Os manifestantes chegaram ao edifício por volta das 8h30 desta segunda-feira. “Se o triplex é do Lula, podemos permanecer. Se não é, por que ele está preso?”, argumentou o integrante do MTST, Josué Rocha. De acordo com ele, mais de 50 pessoas foram ao triplex, e outros 100 manifestantes ficaram na rua.

O grupo estendeu faixas com as mensagens “Povo Sem Medo”, “Se é do Lula, é nosso” e “Se não é, por que prendeu?”, na sacada do apartamento. “Queremos provocar essa discussão. Eles não têm provas de que o triplex é do Lula, não há nenhuma prova da propriedade, a condenação é uma farsa”, disse mais cedo.

Trplex

A invasão acontece nove dias após Lula se entregar para à Polícia Federal. Ele foi preso, após permanecer por dois dias na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP). Foi justamente o caso triplex que ocasionou a condenação do ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro após o magistrado entender que a construtora OAS pagou R$ 2,2 milhões em propina a ele por meio da entrega e a reforma do apartamento, em Guarujá. Desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região aumentaram a pena dele para 12 anos e um mês de prisão.

A Justiça em São Paulo ainda decidiu bloquear o apartamento triplex, alvo de investigação pela Operação Lava Jato. O leilão, conforme previsão inicial, será realizado nos dias 15 e 22 de maio e os lances podem ser feitos pela internet até estas datas. O valor inicial dos lances também é de R$ 2,2 milhões.

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *