Artigo

Por que não vão pras ruas protestar ao invés de ficar só nas redes sociais?

por Carlos Alberto Barbosa

O apresentador do programa Papo de Segunda do canal fechado GNT, Fabio Porchat, fez uma pergunta nesta segunda-feira (28) bastante pertinente: por que as pessoas ficam só nas redes sociais criticando e reclamando da situação do país ao invés de ir pras ruas protestar? Segundo ele, é muito cômodo ficar postando nas redes sociais somente para um grupo de amigos e não se mexerem para levar a sua insatisfação as ruas. Concordo em gênero e grau com o que Porchat falou.

Crítico do papel das novas tecnologias no processo de disseminação de informação, o jornalista, escritor e filósofo italiano Umberto Eco já havia dito que as redes sociais dão o direito à palavra a uma “legião de imbecis” que antes falavam apenas em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade.

A declaração foi dada durante um evento em que ele recebeu o título de doutor honoris causa em comunicação e cultura na Universidade de Turim, norte da Itália.

“Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel”, disse o intelectual. Segundo Eco, a TV já havia colocado o “idiota da aldeia” em um patamar no qual ele se sentia superior. “O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”, acrescentou.

Fica claro que as pessoas só foram as ruas no Brasil para tirar Dilma do governo, sobretudo, a classe média teleguiada pelo MBL (Movimento Brasil Livre) financiado pelo “pato” da poderosa Fiesp, tendo em vista que temos agora um governo corrupto, uma crise econômica sem precedentes, desemprego acelerado e ninguém, absolutamente ninguém – falo dos que foram pras ruas contra Dilma – sae de suas varandas acomodada em poltronas e postada em redes sociais para criticar a situação, sem ao menos tirar a bunda do assento. No máximo um panelaço, como ocorreu domingo durante o pronunciamento à Nação do golpista Michel Temer. Que aliás as penelas já começaram ficar vazias devido a falta de alimentos causada pela paralisação dos caminhoneiros.

A quem esse pessoal apela agora? A uma intervenção militar, como se isso fosse resolver o problema. Cadê a patota Fiesp?

Foto reproduzida da Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *