Editorial

A Lava Jato desmoralizada

Inspirada na Operação Mãos Limpas deflagrada na Itália, e que objetivava investigar casos de corrupção na década de 1990 envolvendo políticos e empresários, a Operação Lava Jato no Brasil está desmoralizada.

O jornalista Reinaldo Azevedo, conhecido por ter opiniões de direita, diga-se de passagem, diz que “a Força Tarefa, ainda a maior pauteira da imprensa, tem na sua história alguns feitos notáveis: conseguiu mandar para a cadeia um ex-presidente da República sem apresentar as provas de seu crime e tentou criar uma fundação bilionária que renderia em juros o que empresas que empregam milhares não rendem em lucros”.

Reinaldo Azevedo publicou neste domingo (17) um balanço dos cinco anos de Lava Jato, em que retrata a operação como uma das maiores tragédias já ocorridas no Brasil.

“A Lava Jato completa cinco anos hoje. Veio para mudar o Brasil. Mudou. Jair Bolsonaro é presidente da República: Sérgio Moro é ministro da Justiça; Vélez Rodriguez é ministro da Educação; Damares Alves é ministra dos que vestem azul e das que vestem rosa, e o chefe do Executivo atravessou o umbral da nova era ao divulgar um filminho pornô”, escreveu Azevedo em sua coluna no Uol.

Já o confrade Luís Nassif afirmou que “a Lava Jato se constituiu um modo simples de enriquecer os fiscais da probidade”. Não à toa o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, tachou os procuradores da Lava Jato de “gangsters”.

É verdade que Mendes é alvo de cinco questionamentos no pedido de instalação da CPI Lava Toga no Senado. No entanto, sua afirmação baseia-se no fato da Corregedoria da Procuradoria-Geral da República ter aberto um procedimento para analisar os atos praticados por procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões de multas pagas pela Petrobras. Um dos principais alvos da investigação é o procurador Deltan Dallagnol, o articulador e porta-voz da iniciativa.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, apresentou documentos que comprovam a ilegalidade da Força-Tarefa da Lava Jato, os Estados Unidos e a Petrobras na criação de uma fundação privada para gerir US$ 2,5 bilhões, oriundos de uma multa.

Segundo o parlamentear, o fundo “é um procedimento totalmente ilegal” e os procuradores envolvidos “cometeram crimes contra o interesse nacional”. Ainda de acordo com o Líder do PT, a criação do fundo foi combinada de forma secreta.

Aliás, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, suspendeu, na última sexta-feira (15), o acordo firmado entre a Petrobras e a força-tarefa da Lava-Jato. O tratado permitia a criação de uma fundação para gerir parte de R$ 2,5 bilhões repassados pela estatal de petróleo a título de indenização em decorrência do esquema de corrupção que afetou a empresa.

Como se observa, caro leitor, não sou só eu que estou dizendo que a Lava Jato está desmoralizada. São os fatos que comprovam isso, e contra fatos não há argumentos.

Tenho dito!

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *