Artigo

As elites e Bolsonaro morrem de medo de Lula

por Mauro Lopes, no site Brasil 247

O ódio das elites e de Bolsonaro a Lula é resultado do medo. Eles têm muito medo de Lula. 

Os juristas são quase unânimes em considerar acertada a decisão de ontem do ministro Marco Aurélio. Mas o medo das elites desatou uma campanha de ódio e ameaças com destacada presença militar que arrancou do doce-dócil Toffoli a suspensão da medida do seu colega, tornado agora um ministro de segunda categoria do STF.

A extrema-direita passou a quarta-feira agitando com competência o espantalho (mentiroso, como sempre) de que 170 mil “perigosos bandidos” poderiam ser “postos na rua” com a decisão de Marco Aurélio. Depois que Toffoli socorreu os fascistas, o chefe Bolsonaro cumprimentou-o por derrubar decisão “que poderia (…) colocar em risco o bem estar de nossa sociedade”.

A campanha cumpriu de maneira eficaz o papel de um espantalho: desviou a atenção de parte da sociedade para quem, na verdade é o único alvo da ação Bolsonaro-militares-Toffoli: Lula.

Eles morrem de medo de Lula.

Um homem de 73 anos, preso, sem dinheiro e sem poder aterroriza as elites.

A fixação de Bolsonaro em Lula denuncia seu medo. Ele fala mais de Lula do que do país que pretensamente irá dirigir a partir de 1 de janeiro.

Eles sabem. Assim mesmo, sem poder, sem dinheiro, sem nada, Lula solto será capaz de alterar em alguns minutos a correlação de forças no país, mudando todo o cenário político. 

Lula não tem nada, mas capturou e foi capturado pelo coração do povo brasileiro.

Não tem nada. Mas tem tudo.

Por isso ele não pode por os pés na rua.

Eles destruirão o país mas não permitirão a liberdade de Lula.

Medo, medo.

*Mauro Lopes é jornalista, editor do 247 e fundador do canal Paz e Bem

Foto reproduzida da Internet

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *