Editorial

Por favor `nobres deputados´façam uma auto-crítica. Esqueceram da proposta de um fundo pra Saúde?

por Carlos Alberto Barbosa

O adágio popular “macaco não olha pro rabo”, que quer dizer ao pé da letra que não tem auto-crítica, se aplica muito bem a certos deputados. Falo dos parlamentares Getúlio Rego (PFL), que é médico por formação e político por profissão, e de Gustavo Carvalho (PSDB), que um dia já experimentou a cadeira de líder de governo.

Os dois “nobres deputados” se mostraram surpresos com a situação do Hospital Psiquiátrico João Machado após visita de uma comitiva parlamentar. O deputado tucano disse no plenário da Assembleia Legislativa que estava dando o prazo de cem dias para fazer um julgamento sobre o atual governo, “mas quero dar conhecimento da farsa que está sendo cometida e é com relação à vida: a população está sendo enganada, o governo está mentindo”, acusou o parlamentar. Suspeito o “nobre deputado tucano” pra falar isso. Foi líder do governo Wilma de Faria e, que eu me lembre, nunca visitou o João Machado.

Já o liderado do ex-senador José Agripino (PFL), aposentado pelas urnas na última eleição, como disse, médico por formação e deputado por profissão, e que também já foi líder de governo, afirmou, pasme, que “como médico, a gente se prepara para enfrentar situações de forte impacto, até para que possamos manter o equilíbrio. Mas o que vi no hospital João Machado é chocante”. Digo que Getúlio Rego como médico e como ex-líder do governo já deveria conhecer a situação do João Machado. A sua surpresa é a de que nunca entrou num hospital psiquiátrico, muito menos no João Machado. Nem como parlamentar e muito menos como médico.

Pois muito bem, caro leitor: espanto maior é o meu quando vejo dois deputados, de pelejas antigas, criticar a saúde do estado quando já tiveram oportunidade de fazer algo e não o fizeram. Reporto-me a uma proposta do ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Lagreca, que quando gestor levou à Assembleia Legislativa uma proposição aos nobres deputados para que fosse criado um Fundo para a Saúde. Lagreca conversou com todos os 24 deputados com assento na Casa, à época, sobre o assunto.

O projeto consistia na criação de um fundo único estadual para a captação de emendas parlamentares para a saúde, o que alguns dos deputados se comprometeram e outros fizeram ouvido de mercador. Isso foi em maio de 2015, portanto, há quase quatro anos. Ricardo Lagreca saiu do governo e nunca mais se falou no assunto.

Ao final desta reunião ficou a expectativa de que fosse marcada uma audiência pública para que as questões da saúde e proposições apresentadas no tal encontro, fossem discutidas novamente e de forma mais ampla. Mas nunca ocorreu.

Quem sabe agora no próximo dia 11, o nobre deputado Getúlio Rego, que presidirá uma audiência publica sobre a situação da saúde no Estado, não sugira a criação de um Fundo específico para o setor, para que só assim não tenha mais surpresas quando entrar num hospital público.

Por favor, antes de criticarem a saúde pública façam uma auto-crítica e pensem num Fundo pra Saúde nobres deputados. Criticar é fácil, quero ver é fazer.

A conferir!

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *